quinta-feira, 2 de abril de 2009

"(...)Tem como me fazer nascer de novo, de um jeito que eu só queira você e não o que eu sonho com você? Porque agora, de longe, parece tão fácil. Agora, de longe, se desse, pra te ter por minutos, nossa, eu seria tão feliz. Mas semana passada, gritava dentro de mim, se não fosse pra sempre, se não fossem mil minutos, se não fossem os meus minutos, que eu focasse então em tudo de ruim pra me livrar logo do pouco que ofende ou do egoísmo que bate de frente. Compartilho com você, e nem sei como amadureci tão rápido, da certeza da impossibilidade. Mas sinto sozinha o quanto isso me faz amar você ainda mais. Porque se desse, se eu pudesse, se desse mesmo pra te amar, seria amor e ponto final. Não seria essa coisa que a gente, mais uma e pela última vez compartilhando algo, achamos que é amor."

Mas se você soubesse, como foi duro, resgatar tudo e colar ao meu modo, nesses mil anos, pra agora, assim, sem eu nem saber, me assoprar por você. Entende? Porque eu te juro, de todas as coisas do mundo, eu só queria olhar pra você."
[tati Bernardi]

Um comentário:

Karine Rosa. disse...

A-DO-RO esse texto da Taaaati.
simplesmente perfeeeito.

e sobre seu texto passado: sincronicidade, AMEEEI

"É a vida me mostrando alguém especial que, embora longe talves tenha sido feito pra mim, alguém que só a sincronicidade me fez conhecer."

Ai, essa vida cheia das coincidências mais significativas, ou quem sabe, não sejam pura coincidência. Afinal, coincidências existem mesmo?