segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

eu só queria que fosse simples...



Eu sinto falta de quando tudo era mais simples. Não tinha preocupações, ia à escola, corria pelo pátio, desejava ser maior idade logo. Gostava do menino popular. Quando me apaixonei, achei que fosse acabar o mundo, sofri a dor do mundo inteiro, não conseguia acreditar que passaria com o tempo. E passou. Minha vida passou. Dá-se um desespero saber que daqui a pouco eu posso ser mãe, ser mulher responsável, cuidar de casa, lavar roupa, fazer comida e ainda assim não ter encontrado o amor da minha vida. Também desisti de procurar, não tenho mais paciência para fazer o sofrimento do mundo inteiro caber dentro de mim. Fico pensando que os meus planos não inclui estar com alguém. Talves é por isso que também polpo gostar de alguém. É melhor achar todos os fulaninhos bonitinhos, ou sentir vontade de estar com todos eles, é melhor banalizar tudo, generalizando tudo para não sofrer por nenhum. E é engraçado com tem sido de fato assim. Há um tempo atrás eu encontrei o cara com quem passei o ensino fundamental apaixonada, tão lindo, tão envolvente, tão charmoso. Foi incrível, até um certo ponto eu até que sofri ou quis sofrer por ele. Depois teve o cara que eu também já conhecia e enchia minha bola, mas nem estava afim. Depois apareceu um com o sorriso lindo,missão impossível! Devido o lugar que o conheci, no entanto rolou um clima, voltei para minha cidade com o coração na pontinha da língua. Fucei toda vida do menino (não é pra isso que está servindo Internet?), sonhei com o dia que poderia acontecer de vê-lo. E, pra piorar o coração burro ainda teve o cara que encheu minha bola e todo meu caminhãozinho de areia, tinha todo um humor charmoso, uma boca linda, um sorriso lindo... ai, ai... E eu não me envolvi com o cabra (droooooooga) voltei toda arrependida, arrasada, de quatro e mais de cara ainda com esse lance de banalizar geral pra não 'cair em tentação'. Agora pra piorar tudo, todos esses caras não moram aqui, na mesma cidade. O que me faz mais ainda querer todos eles justamente pela dificuldade de ter. Mas o que também me faz acreditar que minha felicidade mora em outra cidade. Tão Longe quanto o amor, distante do meu coração.

Um comentário:

Lisa disse...

"...o que também me faz acreditar que minha felicidade mora em outra cidade. Tão Longe quanto o amor, distante do meu coração."

Nossa, eu vivo isso. é ruim demais, mas é tão bom ter esperança, pq a gente sabe que qndo acontecer vai ser O momento da sua vida. E eu espero viver esse momento em breve, e desejo que vc também tenha esse momento, e que ele renda -no mínimo- um post tão legal quanto esse e tantos outros do seu blog.